Receita | Panquecas de aveia e vegetais (sem ovos)

Receita | Panquecas de aveia e vegetais (sem ovos)

Numa tentativa de fazer o César comer mais pela própria mão mas não ter de fazer 1001 refeições diferentes, tenho andado a tentar criar e adaptar algumas receitas que sejam aptas para todos nós.

Já devo ter mencionado por aqui que o meu filho prefere sabores salgados a doces, o que me convém imenso porque eu também e, além disso, fica mais fácil oferecer-lhe mais coisas à refeições.

Como há que ter alguma precaução com os temperos e o consumo excessivo de alguns ingredientes, experimentei uma receita simples que funciona para todos.

 

Ingredientes:

  • Mix de legumes (usei courgette, cebola roxa, alho francês e pimentos)
  • 1 caneca de farinha de aveia
  • 1 caneca de água
  • Sal e um pouco de pimenta
  • 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio

 

Preparação:

Juntar e envolver todos os ingredientes e, numa frigideira com um fio de azeite, cozinhar a mistura.

Podem optar por fazer uma colher de cada vez, ou uma concha para fazerem uma panqueca maior. É como preferirem!

Não há nada que enganar e não tem como falhar 🙂

 

 

Espero que tenham gostado!

 

A*

Receita | Pão de Espelta Integral

Receita | Pão de Espelta Integral

Eu adoro pão. Pão é a minha comida preferida. As minhas refeições podiam ser todas  pão e coisas para pôr no pão. Sempre foi assim. Mas não pode ser.

Numa tentativa de minimizar os malefícios do consumo excessivo de pão, além de controlar as porções, tenho também por hábito explorar hipóteses menos nocivas.

Deixei o tão famoso pão branco há muito e, com raras excepções, já pouco me seduz.

*Mas se estivermos a falar de um bom pão rústico, a conversa muda.*

Como também sou aventureira, sempre gostei da ideia de fazer pão em casa e, recentemente, ando a fazer alguma experiências de forma a ver se se torna rentável, porque mais saudável é, de certeza!

IMAG1441.jpg

Descobri a farinha de espelta há pouco tempo mas já é uma constante na despensa cá de casa. Este primo do trigo, também se pode chamar de trigo-vermelho. Podem encontrar esta farinha em alguns supermercados e lojas de produtos naturais.

Leiam mais sobre a espelta aqui.

Decididamente eu tinha de experimentar fazer pão de espelta e depois de ter encontrado a receita no blog Super Mama Fit (infelizmente, não é atualizado há dois anos) pus mãos à obra.

Ingredientes:

  • 500g de farinha de espelta integral
  • 300 ml de água morna
  • 1 pacote de fermento seco de padeiro
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de açúcar amarelo

Dissolver o fermento em 300 ml de água morna e esperar cerca de 10 minutos.

Passado esse tempo, juntar o sal, o açúcar e o azeite. Envolver com a farinha e formar uma massa lisa. Deixar a massa descansar num recipiente coberto por um pano húmido durante até dobrar de tamanho à temperatura ambiente. Aqui, chegaram apenas 30 minutos.

Pré- aquecer o forno na temperatura máxima, colocar o pão e reduzir um pouco a temperatura. Deixar cozer durante 40 minutos, aprox. Eu vou sempre vendo porque o tempo pode variar consoante o equipamento de cada um.

IMAG1446

Eu decidi fazer uns mini pães e consegui 17 bolinhas.

Delicioso e estaladiço! Vale mesmo, mesmo a pena tentarem a receita ❤

IMAG1447

Nada melhor que o clássico pão com “mantêga”! Yum!

Experimentem e digam se gostaram!

 

 

A*

Receita | Bolo de Maçã Saudável

Receita | Bolo de Maçã Saudável

Comida. Outra vez!

E doce! Porque só consigo pensar em comer, apetece-me sempre um docinho aqui e ali e porque amamentar suga-me a vida!

Adoro maçãs, mas não qualquer uma, por isso, numa tentativa de aproveitar umas maçãs que tinha aqui e que não me agradavam muito, decidi fazer um bolo com elas.

O objectivo é saciar estes desejos de forma saudável e também deixar fluir um pouco a criatividade na cozinha. Como não sou a melhor pasteleira ao cimo do Terra (…nem de longe!) faço sempre estas coisas a medo, principalmente porque faço tudo sem açúcar mas quero que fique doce!

Escusado será dizer que muitas coisas ficaram tudo menos doces x_x.

Recém descoberta na minha cozinha, a farinha de arroz tem sido aquele ingrediente que tem servido para quase tudo e, devo dizer, que tenho adorado os resultados.

Sem glúten e com baixa absorção de gorduras é extremamente versátil, servindo para bolos, polmes, espessantes e papas.

Então, num destes dias pensei: É hoje que sai o bolo com farinha de arroz!

Passamos então à receita:

Ingredientes:

  • 1 caneca de farinha de arroz
  • 2 ovos
  • 1 caneca de maçã
  • 6 colheres de sopa de leite
  • 1/4 caneca de azeite ou oleo de coco
  • 1 iogurte de coco (podem usar o sabor que quiserem. Usei um sem açucar)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1 caneca de flocos de aveia
  • 2 colheres de sopa de sementes de linhaça
  • Canela q.b
  • Noz moscada q.b

 

Preparação:

Juntar os ovos, a farinha de arroz, a maçã, o leite, o azeite, o iogurte e o mel e bater tudo.

Juntar a aveia, as sementes de linhaça, a noz moscada e a canela e levar ao forno pré-quecido a 180º até cozer.

Acho que este foi o melhor bolo que fiz até à data. A farinha de arroz dá-lhe um sabor adociado, o que faz com que só o iogurte, duas colheres de mel e a maçã sejam perfeitamente suficientes.

Peço desculpa por só ter uma foto, mas é que isto desapareceu à velocidade da luz, lol!

 

Experimentem e digam o que acham ❤

 

A*

Receita | Panquecas salgadas de milho.

Receita | Panquecas salgadas de milho.

Depois de muitos anos a tentar descobrir a receita dos croquetes de milho que eram servidos no refeitório da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, e de falhar redondamente a cada tentativa de reproduzi-los, optei por fazer um snack salgado que não fosse frito mas que me lembrasse dos saudosos croquetes!

Não tem sido nada fácil comer bem porque, além de estar sempre cheia de fome, não sei o que se apoderou de mim que só me apetece comer porcarias! 😦 Mas, como eu sou mais forte que estes apetites do mal, trago-vos hoje uma receita super simples de panquecas de milho.

Ingredientes:

  • 1 lata de milho
  • 1/4 de caneca, mais duas colheres de sopa de farinha de arroz
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 ovo
  • sal e pimenta a gosto

 

Misturar todos os ingredientes num recipiente e ir colocando, em colheradas, o preparado numa frigideira untada cm um óleo à vossa escolha.

Deixar cozinhar até ganhar uma cor dourada/acastanhada de ambos os lados.

Serve 6 panquecas.

Mais fácil que isto não há!

Como foi a primeira vez que fiz esta receita, quis mantê-la simples mas podem temperar com ervas ou especiarias à vossa escolha!

IMAG0572.jpg
Panquecas de Milho com salada de rúcula e canónigos, acompanhada de sopa de abóbora!

 

Espero que gostem!

 

A*

Tabbouleh de Quinoa.

Tabbouleh de Quinoa.

Desde que comecei a cortar na massa e no arroz (e eu sou uma arrozeira de primeira) que ando numa constante demanda pelo acompanhamento que seja igualmente saboroso e versátil, mas mais saudável que o arroz.

Quinoa. Comecei a ouvir falar dela como sendo uma “super-food”.

Não sabia o que era nem nunca tinha visto à venda em lado nenhum.

Conhecida como o “grão de ouro”, a quinoa é, teoricamente, uma semente rica em proteínas, cálcio e ómega 3. Quando cozinhada, obtém uma textura semelhante ao cous-cous, ainda que o seu sabor se assemelhe aos frutos secos.
Bastante versátil, podem usar a quinoa para pratos salgados, doces, bases de pizza ou qualquer outro tipo de massa.

Visto que consegui por as mãos num molho enorme de coentros e hortelã e numa embalagem de quinoa, decidi fazer um prato que gosto muito mas que nunca tinha feito: Tabbouleh !

O Tabbouleh é um prato vegetariano Árabe (considerado também uma salada) cujos ingredientes principais são: bulgur (ou cous-cous), cebola, salsa, hortelã e tomate acompanhado de sumo de limão, sal e azeite.

Eu decidi fazer um Tabbouleh ligeiramente diferente e com mais ervas, por isso, para verem todo o processo é so continuar a ler :)!

Tabbouleh de Quinoa.

Como cozinhar a quinoa: Como o arroz, a quinoa cozinha-se com duas porções de água por uma de quinoa. Podem optar por cozinhá-la em caldo de vegetais (ou carne, ou peixe) para adicionar algum sabor, ou simplesmente com água, sal e azeite, ou qualquer outro tipo de óleo.
Costumo deixar tostar um pouco no azeite antes de colocar a água porque assim não corro o risco de deixar amargar os grãos. Assim que se colocar a água, espera-se que levante fervura e, uma vez a borbulhar, tapa-se e deixa-se cozinhar, em lume brando, até a água desparecer.

Collage 2015-10-31 15_04_38

Para os restantes ingredientes usei:

Collage 2015-10-31 15_03_10

– Pepino
– Passas
– Cebola roxa
– Pimento
– Hortelã
– Salsa
– Coentros

A preparação dos ingredientes passa apenas por cortá-los todos em cubinhos e depois adicioná-los à quinoa já cozinhada.

Se não gostarem de um sabor a ervas tão forte, podem omitir os coentros para que fique mais leve.

(No meu caso, como gosto do sabor forte, cortei as ervas finamente e adicionei à quinoa ainda quente.)

O dressing é simples: Sumo de limão, azeite, sal e pimenta.

Collage 2015-10-31 15_05_47

Mistura-se tudo e, voilá, um tabbouleh fresco, nutritivo e muito saboroso!

IMG_20151031_125536

Espero que gostem !

A*