2017.

2017.

É inevitável usar a passagem do ano como rampa de lançamento para início de um novo ciclo.

O ano novo traz a esperança de melhores dias, metas atingidas, objetivos cumpridos ou, pelo menos, para quem fecha um bom ano, um ano novo igual ao que está a terminar.

No meu caso, nunca desejei tanto que um ano acabasse. Só para ter esta desculpa de que esta etapa menos boa está a acabar e que vamos começar de novo. Que vamos renascer das cinzas e que tudo vai correr melhor, que vamos rir mais e chorar menos, que vamos estar mais próximos mas por bons motivos, que vamos esquecer o mau e focar-nos no bom, que também vamos, nós, ser pessoas melhores.

2017 fez todos os meus limites serem testados e, às vezes, tinha a sensação que ia chumbar em alguns deles.

2017 foi um ano de muita dor, de muita revolta, de surpresas más, de muito cansaço e de pouca paz.

2017 foi um ano de reflexões, de mudanças, de provações intensas e da conclusão que somos capazes de superar, ainda que a cambalear, o que a vida nos traz.

Não quero que isto pareça um rant imenso, pelo contrário, quero terminar os últimos dias de 2017 a bem e, por esse motivo, estou a tentar centrar-me no meu regresso para junto dos meus e na alegria que isso tem trazido!

Eu vou continuar por aqui e espero que vocês também!

 

Um bom 2018 a todos ❤

 

 

A*