UPDATE | Resumo dos últimos dias.

UPDATE | Resumo dos últimos dias.

Vou ser mais uma daquelas pessoas que já enjoam por estarem sempre a dizer que querem ir de férias. Sim, é um enjoo mas a verdade é que:

 

Mal posso esperar para ir de férias!

 

Férias essas que vão requerer um planeamento extra porque, pela primeira vez, vou viajar com a cria e isso implica uma organização daquelas! Estou quase, quaaaase a entrar na fase da criação de listas para me orientar. Depois digo qualquer coisa.

 

Até lá, continuo a dividir o meu tempo e dedicação entre trabalho, família, blog e a mais uma ou outra coisita que me vai despertando o interesse. Não tenho lido tanto quanto tinha planeado e isso deixa-me um bocado desapontada comigo mesma mas, com calma vamos lá. Em compensação, tenho conseguido moderar o consumismo, reaproveitar roupa e cosméticos e manter uma rotina de organização diária aceitável.

 

Quanto ao blog, tenho vindo a abrir os horizontes para colaborações com outros bloggers e tenho já alinhavados alguns posts. O meu objectivo é trazer mais e melhor conteúdo trocando experiências com outros autores e, claro, com os leitores deste sítio :).

 

O César já vai fazer 11 meses e estou a bater mal com a velocidade com que o tempo está a passar. Entre os 9 e os 10 meses notei um grande salto no desenvolvimento dele e é um grande privilégio poder presenciar este crescimento constante todos os dias ❤

Ás vezes também me pára o coração quando ele tenta partir a boca ao bater com a cara no chão mas, faz parte. Segundo dizem, mãe sofre!

 

Espero que continuem por cá e não hesitem em dar o vosso feedback 😀

Acompanhem-me também no Instagram e no Facebook!

giphy.gif

 

 

A*

A Semana em Fotos #15

A Semana em Fotos #15

Esta semana foi O CAOS!

Mas, sobrevivi 🙂

IMAG2093

IMAG2103

IMAG2108

IMG-20170704-WA0002

 

  • A minha cara quando me apercebo que os dias deviam ter, pelo menos, 30 horas.
  • Raios e trovões em JULHO!
  • Jogos românticos ❤
  • Finalmente tatuei a clave de dó (depois mostro a tatuagem quando estiver curada)
  • A reciclar t-shirts velhas em honra do Julho sem plástico!

 

Boa semana ❤

 

A*

50 Perguntas 50 Respostas

50 Perguntas 50 Respostas

 

Vi esta série de perguntas no blog da Graziela – My Cherry Lips – e decidi responder, porque toda a gente quer sempre saber um pouco mais sobre quem está atrás destas coisas que se escrevem aqui.

 

Bora!

 

 

1. O que é que eu mais odeio em mim? Não conseguir expressar, totalmente, o que sinto (às vezes só).
2. Peso… 64kgs
3. Se pudesse visitar qualquer lugar no mundo, qual seria e porquê? Mais do que um lugar, gostaria de visitar e conviver com uma tribo.
4. A última coisa que me fez chorar… Problemas de saúde de um familiar.
5. Se pudesse voltar no tempo, o que mudaria? Num determinado período da minha vida, teria seguido mais a minha intuição e aquilo que EU achava correto em vez de me deixar influenciar por terceiros.
6. Não vou morrer sem… Aprender a costurar, lol.
7. Quanto tempo levo a ficar pronta para sair? Uma hora, aprox. mas depende do evento hehe
8. Último lugar onde estive… Na cama.
9. Comida favorita… Nunca vou conseguir responder a esta pergunta.
10. Comida que eu não como de jeito nenhum… Borrego.
11. Música do momento – Nação PALOP – Mendes Brothers

12. Passo a vida a perder… Nada.
13. Emprego de sonho… Neste momento, não tenho.
14. Último concerto a que fui… Não quero mentir, mas acho que foi no Porto a ver umas bandas de metal portuguesas. Já lá vai algum tempo, lol.
15. Banda/Artista favorito: Impossível responder. São muitos. Desisti de responder a esta pergunta.
16. Última vez que me stressei…Há duas semanas, com o meu filho a fazer uma real fita no bus!
17. Carro ou mota… Carro, mas é para ser conduzida porque eu não conduzo. Quanto às motas, tenho medo.
18. Uma música com a palavra AMOR: Amor e Morte – Cradle of Filth

19. Não saio de casa sem… Pôr perfume.
20. Chocolate favorito: Snickers. Mortal.
21. Uma frase que a minha mãe sempre fala – “Quem meus filhos beija, a minha boca adoça” hahaha
22. Eu estou… Mortinha para ir de férias.
23. Eu sou… Muito convicta.
24. Eu quero… Ter saúde para ver o meu filho crescer com saúde também.
25. Ser amigo é… Não querer só vomitar os nossos problemas mas oferecer-nos a nós mesmos para ouvir e consolar o outro.
26. Quando eu morrer… Quero que utilizem o meu esqueleto em vídeos e concertos de metal!
27. Um livro… O Último Patriarca – Najat El Hachmi 
28. Um filme… Quills.
29. Uma meta para cumprir este ano… Ler mais.
30. Queria ser uma formiga para… Não queria.
31. Calças ou vestido… Calças
32. O que me faz feliz… Estar com a minha família.
33. Sou feliz quando… Estou com a minha família.
34. Queria ser… Mais paciente.
35. Queria ter… Dinheiro para poder viajar para onde quiser.
36. Se fosse homem… Seria exactamente igual ao que sou sendo mulher.
37. Uma pessoa que adorava conhecer pessoalmente… O Pete Burns mas ele já cá não está 😦
38. Cerveja é… Maravilhosa mas já nem me lembro do sabor.
39. Na noite passada… Fui “obrigada” a ir para a cama cedo :/ #bebes
40. Poderia ficar horas… Aver qualquer série que eu goste!
41. Desmaio quando… Estou eu, ou outras pessoas em sítios altos que não me inspiram segurança. Já só vejo tropeçarem e caírem dali abaixo.
42. O meu lema… Para a frente é o caminho!
43. Morro de medo de… Aves (pombos, galinhas…).
44. Daria tudo para… Reviver a minha infância.
45. O meu maior defeito que é uma grande qualidade… A minha individualidade excessiva que me permite contar comigo mesmo para qualquer adversidade.
46. Qual a maior qualidade que é um defeito…  Não guardar rancores quando, nem sempre tudo tem perdão.
47. Signo… Capricórnio com um pézinho no Aquário.
48. O que querias ser quando fosses grande? Escritora.
49. Clube de futebol… Nenhum.
50. Odeio… Que não respeitem o meu espaço.

Música | Favoritos : Da Infância à Atualidade

Música | Favoritos : Da Infância à Atualidade

Não sei se sabem mas mais do que maquilhagem, livros, cozinha e outras coisas sobre as quais escrevo aqui, a que gosto mais é música!

Até agora, não sabia como abordar o tema por aqui mas, considerando-me uma amante de música extremamente ecléctica, achei giro descrever as minhas preferências desde a infância até aos dias de hoje. Até porque são bem distintas umas das outras.

A minha família sempre gostou de ouvir música e atribuem-se muitas fases das nossas vidas a certos géneros musicais, por isso, não podia deixar de dividir as minhas maiores referências desta arte maior desta forma.

 

Infância

  • Michael Jackson – Primeiríssima influência musical. Muitas tardes a ouvir cassettes no rádio ❤
  • Vaya con Dios – Sim, tinha 6 aos quando pedi à minha mãe que me comprasse o Best Of deles. Miuda estranha.
  • Hanson: Porque eu passei ao lado das febres das boybands, mas não tanto assim heheh! Os Hanson foram durante anos uma obsessão para mim. Até cartas lhes escrevi. Era a pré-adolescência a falar.

 

Adolescência

  • Linkin Park – Comecei a “rebelar-me” (ao contrário do que muitos pensam, nunca fui uma míuda rebelde) na altura em que o Nu-Metal estava em altas. Os Linkin Park foram a minha banda de eleição dentro do género e abriram as portas o que se seguiu depois, durante muitos anos.
  • Cradle of Filth – Estes tipos deram origem à duquesa gótica que nasceu em mim durante a adolescência. Eu já era demasiado dark para o Nu-Metal, por isso, introduzi-me no metal a sério através dos COF.
  • Maria Callas – Por influência dos COF, descobri o maravilhoso mundo da Ópera. Sim, aos 14 anos ouvi a minha primeira ária interpretada pela melhor cantora que alguma vez viveu: La Divina!
  • Folk – Foi tambem nesta altura que descobri o Folk Europeu e me rendi à música de bandas como Sangre Cavallum ou Galandum Galundaina.
  • Bandas de Black Metal – Já no fim da adolescência deixei de querer associar-me tanto àquela imagem da míuda que vai para os festivais e concertos toda aperaltada com corpetes e saias compridas, para entrar mais naquela imagem de metaleira a sério. Estava na hora de deixar a música transparecer mais na minha forma de vestir e, nesta fase, já eu estava in too deep no Black Metal. Foi sempre o meu género preferido.

 

Fim da adolescência

  • Dead or Alive: Uma grande, graaaaaande necessidade de mudança me percorria a alma quando cheguei aos 19/20 anos. Descobri uma banda antiga, que não era do meu tempo e que tinha um frontman que acabou por me inspirar temendamente.
  • Visual Kei: O verdadeiro ponto de viragem deu-se aqui onde, por influência dos meus amigos na altura, me adentrei no fantástico e riquíssimo mundo deste género Japonês.

 

Idade Adulta

  • Raízes – África: Durante a adolescência estive demasiado ocupada a construir a minha identidade através da música que ouvia e sempre negligenciei a música que, afinal, me acompanha desde que nasci. Com o passar do tempo, e com a variedade de géneros que passei a conhecer, apurei o ouvido para muita coisa que já conhecia mas que nunca tinha ouvi com atenção. Nomes como Ildo Lobo, Carlos Burity, Bulimundo e Mendes Brothers  já fazem parte da minha dose diária de música.

 

Hoje em dia, a minha playlist é constituída por todos os géneros e bandas mencionados acima (até os Hanson!), com um pouco de industrial/electro, música do mundo, algum hip hop, punk e 80’s pop pelo meio!

 

Disse o Nietzsche:

 

Sem a música, a vida seria um erro.

 

A*

Alimentação Infantil | As expectativas, o respeito pelo bebé e a nossa intuição.

Alimentação Infantil | As expectativas, o respeito pelo bebé e a nossa intuição.

Com muita pesquisa e algum esforço, consegui relevar muitas coisas inerentes a ter um bebé e mentalizei-me que a alimentação ia estar incluída no grupo das coisas que sempre, sempre, iria descomplicar.

No entanto, como imaginam, isso não significa que não tenha criado expectativas e que, em todo este processo de me tornar mãe, não tenha idealizado como seria a adaptação do meu pequeno aos sólidos.

Deram-me a conhecer o BLW ainda antes do César nascer e, honestamente, foi um conceito que me seduziu por primar pela ideia do respeito pelos ritmos do bebé.

Resumidamente, o  Baby Led Weaning consiste na oferta dos alimentos no seu estado sólido, permitindo ao bebé explorar as texturas, formas e sabores ao seu ritmo, integrando-se assim, também, nas rotinas alimentares da família. Passam-se ao lado as tradicionais sopas e as comidas passadas servindo tudo isto também para fomentar a independência e a criação de uma relação da criança com a comida desde cedo.

Como boa amamentadeira que sou, o início da alimentação complementar viria, apenas, a partir dos 6 meses e sem grandes dramas ou pressas sempre com o BLW no horizonte.

Acontece que me calhou na rifa um bebé que come bem, sem birras mas que não se interessa pela comida. Não pede do nosso prato, não gosta de pegar a comida com as mãos e põe tudo na boca menos aquele pedaço de pêra que lhe dei para lanchar.

Inicialmente, não dei grande importância, pensei que com o tempo fosse mudando. Mas não. Hoje, com 10 meses, pega uma ou outra coisa mas sem grande vontade e, eventualmente, rendi-me aos purés. Apesar de ir deixando a comida com cada vez mais textura para incentivá-lo a mastigar, ele continua a preferir a comida mais passada.

IMG_20170511_215657_853.jpg
A “comer” pão de espelta

Não fiz drama nenhum à volta disto porque, apesar de achar que o BLW é o mais apropriado para os bebés, cada bebé é um mundo e há que respeitar o seu ritmo. Se o meu filho ainda não sente grande atração pela comida ainda, chegará o dia em que isso acontecerá e não vou ser eu que vou alterar o curso normal das coisas. A minha intuição levou-me a introduzir a alimentação complementar tradicional porque não vejo sentido em obrigar o miúdo a seguir um padrão que eu defini que ia ser usado.

 

É recomendado que, aos 12 meses, a criança já possa comer tudo o que a família come e, para que isso aconteça, tinha duas hipóteses:

 

  • Ou insistia no BLW e esperava que aos 12 meses já comesse de tudo connosco.
  • Ou dava-lhe a experimentar novos sabores e esperava, na mesma, que aos 12 meses já coma tudo connosco.

 

Preferi a segunda opção, porque a minha intuição assim me disse para o fazer.

Cada mãe/pai/cuidador decidirá qual o melhor caminho para o seu bebé e para a sua família.

 

 

Por aí, como introduziram, ou pensam introduzir, a alimentação complementar dos vossos mini-me’s?

 

A*

Dia-a-dia | 5 Hábitos do bem!

Dia-a-dia | 5 Hábitos do bem!

Tento sempre contornar o cansaço, o stress e a correria do dia-a-dia com algumas coisas que, até agora, me têm ajudado a manter a sanidade mental e a levar as rotinas com mais leveza.

 

Se resultar para vocês também, ótimo <3!

 

Comer bem – A alimentação tem uma grande importância no meu bem-estar. Não só físico mas psicológico também. Sinto que estou a fazer melhor por mim se cultivar hábitos mais saudáveis (ainda que peque, sem culpa, quando me apetece) e tento incluir esses hábitos no dia-a-dia. Para mim, é uma forma de amor-próprio e auto- valorização, por isso, tento abusar das frutas e dos vegetais todos os dias. Faz bem ao corpo, à mente e sinto que estou a cuidar de mim.

Escrever – Escrever é das melhores coisas que se pode fazer em momentos de stress ou tristeza. O objetivo não é criar uma obra literária mas exteriorizar o que nos está a deixar nervosos, tristes, ansiosos ou zangados. Muitas vezes, em duas linhas já nos sentimos mais leves.

Mexer-me – À semelhança de comer bem, a atividade física também é uma forma de cuidar de mim. O problema é que eu não sou grande fã de ginásio e nunca me vão ver a sair cedo de casa para ir correr. O que é que posso fazer? Usar escadas, andar a pé sempre que há oportunidade, dançar enquanto aspiro o chão (esta é gira de se ver…ou não xD) e aproveitar todas as oportunidades para me mexer durante o dia.

Desconectar –  Seja a ler, a ouvir música, a jogar ou qualquer outra forma, eu preciso muito, muito de me desligar das obrigações e responsabilidades e aproveitar todos os momentos para fazer algo que me distraia. As viagens nos transportes públicos são os meus momentos de eleição para estas coisas.

Amanhã é outro dia – Não vale a pena sofrer já hoje pelo que, talvez , amanhã nem vai ser assim tão mau. O que hoje é, amanhã pode não ser e, a não ser que seja um caso de vida ou morte, pode esperar até amanhã. Nada de ir para a cama já com medo do dia a seguir, não. Precisamente o contrário. Descansar bem agora, porque amanhã é outro dia e o que quer que me esteja reservado, pode esperar.

 

Cuidem-se!

 

A*

Casa & Organização | Rotina Semanal de Limpeza

Casa & Organização | Rotina Semanal de Limpeza

Nesta demanda pela conquista da organização da casa e dos afazeres domésticos sem que haja crises de nervos, criei um PDF para que me possa guiar todos os dias da semana de forma a ter sempre a casa limpa e arrumada.

Não tenho dificuldades em arrumar e limpar, tenho é falta de disciplina e, ora faço tudo num dia, ou passo dias inteiros na maior das inércias.

Resultado: dias de trabalho sem fim e outros onde só a bola de feno é que passa por aqui.

Pois bem, para todas as pessoas que, como eu, precisam um guia para se inspirarem e saberem a quantas vão, deixo-vos o que criei para mim:

Gemma's.jpg

 

Não têm de seguir o que está escrito nos dias em que está escrito e a repetição de cada tarefa, seja diaria ou esporadicamente, já fica ao critério de cada um.

Para descarregar e imprimir: clicar aqui!

 

Espero ter ajudado!

 

A*

Faladora Profissional | O abominável turno da noite. 

Faladora Profissional | O abominável turno da noite. 

Sabemos que há serviços cujo apoio ao cliente está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano. 

Magnífico!

Isto significa que está alguém lá a trabalhar aos fins de semana, no Natal, nos feriados e…durante a noite. 

A minha vida profissional não seria a mesma se não constasse do meu currículo o expediente noturno! Um mundo à parte, um trabalho que tem as suas vantagens mas que, obviamente, tem as suas particularidades.
Para além do desafio que é trabalhar e estar ativo nas horas em que toda a gente dorme, há toda a uma espécie rara de clientes que só sai da toca a partir da meia-noite e, apesar do volume de trabalho ser muito menor neste horário, só os fortes é que conseguem lidar com as caricaturas que aparecem assim que cai a noite.
Assim que batem as 12 badaladas aparecem:

  • Os que jogam / apostam online.
  • Os que trabalham de noite.
  • Os que vêem porn toda a noite.
  • Os que saem do trabalho de noite.
  • Os que não conseguem dormir.

Tudo cenários normais mas que, perante os limitados recursos que temos fora do horário útil e manutenção necessária dos serviços técnicos, são levadas ao extremo pela impaciência e falta de compreensão de pessoas que exigem técnicos em casa para lhes arranjar a net às 4 da manhã!!!
Atender chamadas à noite é também ser confidente e ouvir aqueles clientes que, face à insónia e a brisa inspiradora da madrugada, se confessam, como se a noite lhes conferisse uma identidade diferente da do dia.

  • Aquele que bebe para esquecer.
  • O que chegou do trabalho cansado e frustrado e não tem a quem contar como foi o dia.
  • O que, apesar de ver porn não faz mal a ninguém e só está ali para matar o tédio.

 

Sem dúvida, uma boa opção de estágio para futuros terapeutas!

 

Ser mulher e estar num departamento técnico, ainda por cima durante a noite, também tem as suas adversidades, pois ainda se acha que coisas técnicas são com homens e que as mulheres devem estar em casa à noite. Realmente, eu era a única mulher a fazer aquele horário naquela altura e não me faltaram comentários machistas ou, simplesmente, de grande espanto por estar uma senhora, ou menina, a fazer este horário!

Uma experiência e tanto, posso afirmar que o abominável turno da noite é, sem dúvida, a créme de la créme do atendimento ao cliente!

 

A*