The Igari Makeup – Make Up Look

The Igari Makeup – Make Up Look

Como referi nos posts que fiz sobre a minha ida ao Japão em Novembro passado, vi muitas tendências – tanto de moda como maquilhagem – que me eram completamente desconhecidas.

Uma das que mais me chamou a atenção foi o estilo de maquilhagem que a maioria das raparigas usavam, em que eu só reparava no blush super rosa mesmo abaixo dos olhos.

O curioso é que, um pouco depois de ter regressado a casa, descobri, por acaso, que esta tendência tinha um nome: The Igari Makeup a.k.a The Hangover Makeup.

Apesar de ser um look com o qual não me identifico, decidi inspirar-me no que vi em Tokyo e recriar esta maquilhagem. E até gostei do resultado, hã!!!

FotorCreated.jpg 2

É um look relativamente fácil de se criar onde não é preciso aplicar demasiadas técnicas.

Por exemplo, optei por não contornar o rosto,para que ficasse mais facilmente com aquele aspeto de boneca que as japonesas tanto admiram.

Usei uma base uns tons mais clara que a minha pele, também para que o blush se notasse mais.

 

Os olhos, claro, devem parecer grandes e redondos e, por isso, não os delineei. Preferi abusar da máscara de pestanas, tanto nas inferiores como nas superiores e,desta vez, as pestanas postiças são mais longas e menos concentradas.

Para fazer mais justiça ao nome desta tendência, passei um pouco de sombra castanha (clarita!!!) abaixo das pestanas inferiores.

Nos lábios, decidir aplicar um batom rosado, mas podem saltar este passo, caso pretendam. O que deve sobressair aqui são os olhos.

FotorCreated

Pessoalmente, este look parece-me um mix entre o creepy e o cute, mas já estamos habituados a estes paradoxos quando falamos de tendências japonesas. E eu adoro isso!

 

Espero que tenham gostado!

 

A*

 

Snacks Saudáveis – Húmus

Snacks Saudáveis – Húmus

Para pessoas como eu, que preferem snacks salgados e estão sempre disponíveis para lanchinhos e pestiscos, nem sempre é fácil arranjar um snack saboroso e saudável ao mesmo tempo.

Redescobri, há 2 anos, o meu amor pelo grão. De tal forma que sou capaz de comer todos os dias. Desde saladas, pratos indianos, falafel até ao tradicionalmente português bacalhau cozido com grão!

Pois está claro que, para salvação daquelas tardes de fim de semana em que o buraco do estômago não fecha de forma nenhuma, vem o grão em meu auxílio.

Um prato muito famoso no mundo árabe (e não só) o húmus é, basicamente um puré de grão cozido. É muito simples de fazer e cai super bem como snack ou mesmo como acompanhamento.

img_20160125_122144.jpg

Eu não sigo a receita original, mas deixo-vos aqui como faço o meu:

Ingredientes:

  • Um frasco de grão cozindo (ou, claro, podem optar por cozê-lo vocês)
  • Sumo de meio limão (ou mais, caso queiram mais acidez)
  • Sal
  • Cominhos
  • Pimenta
  • 1 colher de sopa de azeite (ou mais, caso prefiram um húmus mais líquido)
  • Sementes de sésamo

 

Modo de preparo: 

Juntar todos os ingredientes no processador de alimentos até que forma um puré homogéneo.

 

Eu gosto do meu húmus espesso e com um saber acentuado a limão.

Costumo acompanhar com tiras de pepino e/ou pimento.

 

 

Só para não estragar tudo ao empanturrar-me de pão.

Sabem como é.

 

Espero que gostem!

 

A*

Drama Queen – Make Up Look

Drama Queen – Make Up Look

Recentemente fui, pela primeira vez, à NYX aqui em Madrid e decidi comprar um gloss rosa choque (que infelizmente não se vê em todo o seu esplendor nas fotos) e pensei cá para os meus botões:IMG_08681-1024x658

Olha que bem que isto vai ficar com um olhão preto e branco!

Não sou fã de glosses, mas não tenho nenhum no meu kit e eu sou daquelas pessoas que se deixa seduzir pelas embalagens/nomes. Este gloss lindíssimo chama-se African Queen! É meu, já!

Estreei-o então com este look, de nenhuma inspiração Africana mas de muita inspiração Queen (o que quer que isto queira dizer)!

 

dramaq

FotorCreated

Produtos usados:

  • Base – Le Mini Fluide lmf 2 –Paris Berlin 
  • Corrector – Natural Beige 1 Mary Kay
  • Pó translúcido – La Poudre Ex M –Paris Berlin
  • Sobrancelhas – Eyebrow Stylist 030 brown-eyes-peas –Catrice; Sombra– Line Colours
  • Eyeliner líquido Preto – Daiso
  • Sombras – Eyeshadow Duo Light and Dark 04– Kiko
  • Lápis Preto – Crayon Yeux CR200 – Paris Berlin
  • Bronzer – Sun Club – Brunettes . Darker Skin . Shimmer Bronzing PowderEssence
  • Gloss – African QueenNYX
  • Máscara de Pestanas – I extreme – crazy volume mascara – Essence
  • Iluminador – The Goddess of Love – Triple Baked Highlighter –ILOVEMAKEUP

 

Espero que tenham gostado!

 

A*

Kit de Maquilhagem para Principiantes

Kit de Maquilhagem para Principiantes

Nem sempre é fácil compôr um kit de maquilhagem, ainda que básico. I know.

Ou são as compras impulsivas, ou é simplesmente o desconhecimento que nos leva a falhar redondamente nesta tarefa.

Para todas aquelas pessoas que querem começar a maquilhar-se, mas que têm dificuldade em comprar os produtos essênciais, deixo-vos o que, na minha opinião, não deve faltar num kit básico de maquilhagem.

São produtos de qualidade e acessíveis e eu própria uso/usei todos.

 

Base – Seja uma maquilhagem mais elaborada ou mais simples, para mim, o mais importante é o aspeto da pele. Para além da limpeza e hidratação da mesma, que nunca deve faltar, é sempre bom ter uma base adequada ao nosso tom de pele. O ideal é, em caso de dúvida, se escolher um tom mais claro que um mais escuro. Apesar da tendência ser o contrário, o facto é que, quando aplicamos um tom mais claro podemos jogar com as sombras e contornos do rosto de forma a aproximá-la um pouco mais do tom real da pele.

Se preferirem, podem também optar por um BB Cream.

Recomendo: Base Timewise – Mary Kay

 

Corrector – Usado em moderação e no tom apropriado, o corrector pode tornar-se o melhor amigo de todas as pessoas que querem ter um ar fresco logo pela manhã. Ao contrário do que se pensa, não é necessário que o corrector seja muito mais claro que a zona onde é aplicado pois muitas vezes, se assim for, faz o efeito contrário.

Recomendo: Coverstick – Essence

 

Pó compacto – Para segurar bem a base e dar um acabamento mate, nada como um pó compacto. Fácil de aplicar, recomendo especialmente, os incolores, de forma a não comprometer a tonalidade da base.

Recomendo: All about matt – Essence

 

Blush/Bronzer – Usar um, outro ou os dois fica ao critério de cada um. Ambos têm a sua utilidade e compõem  muito o rosto, sem que seja necessário aplicar demasiado produto. Deve ser utilizado pouco a pouco, aquanado da aplicação, para não arriscar um visual com demasiada cor e artificial. A não ser que seja esse o objectivo, claro.

Recomendo: Multi Matt Blush – Catrice; Bronzing Poweder – H&M

 
Sombras: Para que possam ter mais opções, nomeadamente, noite e dia, é sempre bom usar uma paleta que tenha tons claros e outros mais escuros. O recomendável é optar por cores neutras evitando os azuis e os vermelhos. Com tempo e a experiência sempre podem ir experimentado coisas novas.

Recomendo: Smoky/Nudes -H&M

 

Máscara de pestanas – Faz toda a diferença e não pode faltar neste kit. Seja volume, densidade ou comprimento que desejem, há muita variedade.

Recomendo: Máscara Volume Waterproof – Yves Rocher

 

 

Lápis e Eyeliner – Independentemente de conseguirem ou não fazer aquele cat-eye que toda a gente gosta, devem ter estes produtos no vosso kit. Lembrem-se que com prática vão lá!

Recomendo: Lápis Retrátil para Olhos – Mary Kay

 

 

Batom: Há batons para todos os gostos! Mais escuros, mais claros, mate, brilhantes, gloss… Para quem não está habituado a maquilhar-se, e para que não estranhe, o melhor é apostar em cores neutras que não sejam muito diferentes da cor natural dos lábios de cada um. Com o tempo vão querer apostar num vermelho vivo ou num vinho intenso…vão por mim ;).

Recomendo: Smart Lipstick – KIKO

 

 

Espero ter sido uma ajuda para a malta que anda perdida, sem saber o que comprar para começar a maquilhar-se! São apenas as minhas opiniões e recomendações e espero que vos sejam úteis <3.

 

A*

Peripécias do Metro de Madrid.

Peripécias do Metro de Madrid.

Tenho uma relação de amor-ódio com o metro de Madrid.

É extremamente bem comunicado, de orientação simples, com bom aspeto e bastante seguro. Já visitei várias cidades e andei de metro em todas e, excepto o de Tokyo (claro!), o metro de Madrid é o melhor, na minha opinião.

MAS!

Como nada nesta vida é perfeito, há certas situações e episódios que se passam dentro e fora das carruagens deste metro que despertam em mim coisas que eu nem sabia ter cá dentro. E não são boas.

Sejamos honestos, são as pessoas que tornam possíveis estas peripécias e não o metro em si, claro. Certamente que muitas destas aventuras são comuns a metros de outras cidades mas só posso falar deste, que já faz parte de mim.

 

Partida, largada, fugida! – Eu também gosto de ir sentadinha no metro, especialmente se a viagem for longa mas quando vejo aqueles seres a correr, qual Obikwelu, aflitos para tirar o pai da forca, automáticamente congelo. Congelo e aprecio a cena. Parece o jogo da cadeira, quando já só há uma, estão a ver?  É delicioso de se ver.

 

Isto é tudo meu, oubelá! – O metro vai cheio e, ainda por cima, parece que o maquinista (?) vai com um grão na asa. Não há lugares para sentar, nem sítios onde te possas agarrar porque está uma alminha deitada/abraçada ao ferro e a ocupar o espaço TODO. Por muitos olhares que faças, sons com a garganta ou digas alguma coisa, esquece. Normalmente vai hipnotizada pelo telemóvel.

 

Deixa-me sair, deixa-me entrar. – Não há sítio no mundo (I guess) em que a regra não seja: deixar sair antes de entrar. Não sei que pânico é que entra por estes  passageiros dentro mas essa regra aqui é muito pouco respeitada. Já cheguei a dar uns empurrõezinhos, mesmo contra a minha vontade, para poder sair da carruagem. I win, bitch!

 

Vai sair? – Se estás perto da porta, desta não escapas. Mal sais da estação antes da de destino do viajante aflito, ele atira logo: Vai sair? *è que tenho medo de ficar aqui preso para sempre*. Por alguma razão esta pergunta irrita-me ligeiramente, mas eu própria a faço, de vez em quando. Vão entender o porquê da mesma com o ponto que vou escrever abaixo.

 

As portas têm mel! – Aqui sim, transformo-me num monstro sanguinário e implacável. Alguém me explica, porque é que as pessoas vão todas pegadas umas às outras ao pé das portas, quando os corredores estão VAZIOS? Eu sei que querem sair rápidamente e, muitas vezes, só andam uma ou duas paragens mas o aglomerado de gente perto das portas só dificulta a entrada e a saída do metro. Não é óbvio? Alguém me diga que isto não são só as pessoas a não darem uso ao cérebro ou serem puramente egoístas, por favor!!

 

Vocês andam de transportes públicos? Também têm aventuras destas?

Quero saber 😛

 

Um beijinho

 

A*

 

 

 

Style Icon – Janelle Monáe

Style Icon – Janelle Monáe

Raramente sou fã de algum artista por alguma razão externa à sua atividade principal.

Janelle+Monae+Long+Hairstyles+Long+Braided+C1au8On_S_zx

A Janelle Monáe é cantora, compositora e bailarina mas, por acaso, não sou sequer grande conhecedora do seu trabalho. /shameonme.

Janelle Monae Portraits

No entanto, sou uma grandecíssima admiradora do estilo desta artista e tenho de me controlar para não fazer cosplay dela de vez em quando lol.

janelle-monae-roc-nation-and-three-six-zero-pre-grammy-brunch-2015_1

Combinando as poucas cores que uso e mais gosto (branco, preto e vermelho) e abusando do male-style de uma forma muito favorável, o sentido de moda da Janelle é a demonstração perfeita daquilo que eu considero estilo e que mais tento incorporar no meu guarda-roupa.

music-pepsi-beats-janelle

 

 

As escolhas de penteado são igualmente geniais e perpetuam o movimento do cabelo natural, que é sempre um plus <3.

rs_634x1024-150504180312-634.janelle-monae-met-gala-red-carpet.jw.5415

Apreciam este estilo?

Usariam todos os dias, ou apenas usariam como inspiração?

Mais Style Icons em breve ❤

A*

 

SELO LIEBSTER AWARD

SELO LIEBSTER AWARD

Recebi da Mel Colaço, autora do blog Quebra do Silêncio ,um selo para responder a uma TAG.

 

Muito obrigada Mel, principalmente por me dares a conhecer o teu blog que, certamente, passarei a acompanhar 🙂

5ycjlh

 

Regras:

Escrever onze factos sobre nós;
Responder às perguntas que nos foram indicadas;
Indicar onze a vinte blogues com menos de duzentos seguidores;
Fazer onze perguntas a quem indicámos a TAG;
Mostrar o selo Liebster Awards;
Colocar o link de quem nos nomeou.
Onze factos sobre mim:
1. Prefiro salgados a doces.
2. Não tolero intolerâncias, especialmente quando estas conduzem à discriminação. (Desculpa copiar Mel, mas não poderia ter escrito melhor :)).
3. Não vivo sem música.
4. Um dos meus maiores prazeres é dormir .
5. Não posso começar o dia sem café.
6. Gosto de tudo o que é relacionado com a época medieval.
7. Passo a vida a ver documentários sobre doenças ou condições de saúde raras.
8. Falo muito.
9. Sempre quis ter um koala de estimação.
10. A maior parte da minha roupa é preta.
11. Lamento muito nunca ter aprendido a tocar um instrumento musical.
Perguntas da Mel:
1. Como defines o teu blogue numa palavra?
– Descontraído.
2. Como te defines numa palavra?
– Eclética.
3. O teu blogue reflecte a tua personalidade/estado de espírito?
– Personalidade, sem dúvida.
4. O que te levou a criar um blogue? 
– Queria ter uma actividade que me permitisse partilhar os meus conhecimentos e trabalhos como maquilhadora mas, verdade seja dita, eu também gosto imenso de cuidados capilares, cozinha e  tanta coisa que resolvi alargar um pouco aquilo sobre o que escrever. O meu objectivo é que, nem que seja só uma pessoa se identifique com o espaço e principalmente que se divirta.
5. Como surgiu a ideia para o nome do teu blogue?
– Muitas pessoas conhecem-me como Ella e eu não queria pensar num nome muito complexo ou extenso. Achei “It’s Ella”ideal porque representa-me, é curto e é fácil de memorizar.
6. Preocupas-te com os direitos dos animais? Já mudaste algum hábito em prol disso?
– Sim, preocupo-me. Não sou muito ativa neste movimento, mas estou a ponto de me tornar vegetariana (já só me falta deixar de comer peixe), sou contra o uso de peles, animais no circo, touradas e tudo o que perpetue a crueldade animal.
7. Vais aproveitar 2016 para saber o que podes fazer pelos animais?
– Certamente que ajudarei no que estiver ao meu alcance.
8. O que te inspira?
– Música, diversidade humana, pessoas que não se importam com o que o mundo pensa delas.
9. Acreditas em amor à primeira vista? Porquê?
– Sim, não necessariamente por pessoas sempre. Podíamos discutir isto eternamente se começarmos a definir a palavra amor, mas acredito porque se há algo que me atrai não ha razão para não me apaixonar por ela assim que a vir pela primeira vez.
10. Há algum/a blogger que gostavas de conhecer pessoalmente? Qual?
– A blogger que eu mais admiro é a Neuza Mariano, e creio que temos formas idênticas de pensar, por isso ela seria quem eu gostaria de conhecer pessoalmente.
11. Por último, o que te deixa feliz?
– Ver os que amo bem, ouvir uma boa música, dormir, maquilhar, viajar, dançar e cantar numa festa, estar em casa com o Mr., tanta coisa… 🙂
As minhas perguntas:
1.  Qual é teu género de música favorito?
2. O que fazes para relaxar?
3. Planeias os teus posts com antecedência?
4. Qual seria a tua viagem de sonho?
5. Tens algum ídolo/pessoa que admires muito?
6. Qual é a tua melhor qualidade?
7. Viver em Portugal, ou fora?
8. Se pudesses ter um super-poder, qual seria?
9. Qual é a tua personagem favorita?
10. Do que é que nunca abdicarias?
11. Alguma meta específica para 2016?
Espero que gostem da TAG!
Besitos!
A*
De volta ao “normal” – Parte III

De volta ao “normal” – Parte III

A terceira e última parte desta trilogia mostra o árduo caminho em direção à…normalidade!

Não há palavra que eu mais deteste que “normal” mas não dá para evitar, toda a gente usa e abusa deste termo, pelo que, acabo por render-me cada vez que o utilizam.

Um belo dia olhei ao espelho e disse: BASTA!

Quero voltar a ter sobrancelhas, quero experimentar ter qualquer coisa aqui nesta zona da cara e ver como é que isto anda.

Muito a medo lá desenhei qualquer coisinha a mais só para ver como corria.

 Mas calma, é preciso calma. Isto vai correr bem. Vais habituar-te Andreia!

 

bb0

 

Decidi então começar a desenhar as sobrancelhas todos os dias. Não só fazia com que me habituasse ao look  sem que me visse como uma autêntica chewbacca, como me ajudava a criar a forma que eu queria dar ao que ia crescer.

Pois, crescer…

IMG-20151115-WA0004
Falhas, falhas everywhere!

Sempre me disseram que de tanto arrancar ia parar de crescer, mas eu na minha esperteza, ria e dizia que não.

Well, a verdade é que cresceu, mas não como antes e, na parte da frente, cresceu mesmo muito pouco.

Whatever! Vou encharcar isto em óleo de rícino e isto VAI CRESCER!

Com o tempo comecei a gostar MUITO de me ver com as sobrancelhas maiores e, com algum espanto, reparei que me faziam parecer mais nova, mais jovem (sobrancelhas de velha querias o quê?).

Não que eu me preocupasse muito com isso, porque sempre me deram muito mais idade mas foi, realmente, curioso.

 

Tanta prática fez com que me tornasse mestre na arte de desenhar e maquilhar sobrancelhas e fui ficando cada vez mais wild deixando-as cada vez mais grossas. Perigosamente grossas.

 

 

 

Eu não tenho meio termo.

O facto é que demasiado grossas ou não, eu absolutamento ADORO esta tendência e vejo-me a usar este design por muito tempo. Acho que dá carácter e personalidade ao rosto. AMO!

bbb
Tcharaaaaaaannnn!!!!

Hoje em dia, recebo grandes elogios às minhas sobrancelhas espessas, pintadas e grossas e  toda a gente acha que isto deve-se á idade e ao facto de estar a ficar NORMAL! *risos*

Escusado será dizer que a minha mãe gosta bem mais de ver-me assim e, secretamente, agradece por ter deixado a máscara de doente terminal para trás.

 

Moral da história:

Independentemente do que dizem as outras pessoas, ou das modas que se ditam, cada um é LIVRE de fazer com o seu aspeto o que bem entender. Antes toda a gente criticava o facto de, praticamente, não ter sobrancelhas mas, querem saber? Eu sentia-me fantástica! Não mudei de aspeto por pressão ou por ver, de repente, toda a gente a querer ser a Brooke Shields ou a Cara Delevingne, mas sim porque quis. Gosto de mudar e ser livre de me apresentar como bem entender.

Não me arrependo nada de ter massacrado as sobrancelhas ao ponto de hoje em dia não crescerem em certas zonas. So what? São só sobrancelhas :).

 

Espero que tenham gostado desta brincadeira, que serviu não só para explicar este meu curioso percurso sobrancelhal mas também para relativizar todo este tema de aparência e tendências e o que se considera bonito e feio.

Somos livres de sermos quem somos e também somos livres de mudar a qualquer altura.

Um beijinho,

 

A*

Bolo de Banana (Fit)

Bolo de Banana (Fit)

Como péssima doceira que sou, é provavel que vejam por aqui poucas receitas de bolos e sobremesas.

No entanto, com algum empenho e várias receitas memorizadas, parece que consegui fazer, pelo menos, um bolo decente!

Não é um bolo qualquer, é um bolo sem açúcar, sem farinha de trigo e que me permite comê-lo sem grande culpa.

Apresento-vos o meu bolo de banana.

 

Ingredientes:

  • 3 bananas grandes e maduras (4 se forem pequenas)
  • 4 ovos
  • 1 chávena de farinha de aveia
  • 1/2 chávena de óleo de côco
  • 1/4 chávena de mel
  • 1 pacotinho de fermento
  • 1 pacotinho de bicarbonao de sódio
  •  canela a gosto
  • 1 pitada de noz-moscada
  • 1 pitada de sal

 

Farinha de aveia: Como não encontro perto de mim farinha de aveia já feita, faço-a em casa. O processo é muito simples e consiste apenas em triturar os flocos de aveia num processador de alimentos até atingir a consistência de farinha.

 

Preparação:

Colocar as bananas cortadas aos pedaços juntamente com os ovos no blender até ficar com uma consistência cremosa.

Enquanto isso, juntar os ingredientes secos num recipiente misturando-os bem e adicionar a mistura da banana e dos ovos, em conjunto com o óleo de côco (que derreto sempre) e o mel.

Colocar a massa numa forma retangular (ou qualquer outra da vossa preferência, como uma forma de muffins, por exemplo) e pôr a cozer no forno pré-aquecido a 170º graus durante, aprox., 50 minutos ou até estar completamente cozido.

 

bolo banana
Enjoy!

Experimentem e partilhem as vossas opiniões !

Beijinho,

 

A*

Finalização: Método LOC

Finalização: Método LOC

Este conceito nem sempre foi claro para mim.

É claro que sei que tenho de dar um jeito ao cabelo depois de lavá-lo: por um creme, uma espuma, qualquer coisa para domar o emaranhado seco e sem forma que se cria depois de secar.

Quando comecei a usar o cabelo natural, confesso que estava um pouco perdida e experimentei todo o tipo de produtos, indicados ou não para o efeito, para dar uma boa finalização aos fios.

Recentemente, decidi deixar de ser preguiçosa e  empenhei-me um pouco mais nesta tarefa de forma a ficar, realmente, satisfeita com os resultados e fazer com que ele dure mais tempo.

Como tenho um cabelo fino e uns caracóis frágeis que se desmancham facilmente, day after é quase um mito para mim. Mas eu sou mais teimosa e meti na cabeça que havia de conseguir.

A par da máscara S.O.S que faz milagres, como tinha mencionado nesse post, a finalizaçõ tem um papel fundamental na definição, aspeto e durabilidade do resultado. Hoje trago-vos o meu método e os produtos que atualmente uso para conseguir um cabelo definido, brilhante volumoso e que tenha, pelo menos, 1 day after.

Método L.O.C

Descobri este termo quando passava horas a fio no YouTube para aprender como tratar do meu tipo de caracóis.

Resumidamente:

L – Leave-In

O- Oil

C- Cream

Ainda que essa seja a difinição mais comum, também a conheço como:

L – Liquid

O- Oil

C- Cream

Pessoalmente decidi aplicar a última opção mas, como eu não consigo respeitar nada à risca, faço um L.O.C à minha maneira.

 

Liquid – Água

Cabelo seco = precisa de água. Sim, precisa de retê-la de forma manter os fios hidratados. Ao sair do banho, se verificar que as pontas começam a secar, toca de borrifá-las com água. Sem medo!

 

Oil – Óleo

Tenho todo um leque de óleos à escolha mas, para não arriscar ficar com o cabelo pesado e oleoso, optei por usar um óleo leve que sele apenas a água nas madeixas.

IMG_20151108_195048

 

Como fã que sou dos produtos da Fructishá muito que uso este óleo que me tem servido perfeitamente para o que pretendo. É leve, dura muito e é apropriado para qualquer tipo de cabelo.

 

 

 

 

 

C- Cream

Ok, neste passo costumo aplicar um leave-in, de preferência que ajude na definição ds caracóis e que não seja demasiado pastoso e, logo a seguir, coloco um creme, mais espesso, de forma a segurar o trabalho que já está feito.

IMG_20151108_195000

Mais um da Fructis, o creme de pentear Hidra Caracóis é ,certamente, o creme que mais define o meu cabelo. Os caracóis
ficam super elásticos e não se desmancham. É um creme leve, que não
pesa e que é extremamente eficaz! Depois de experimentar vários cremes deste tipo creio que, até agora, nenhum em satisfez mais do que este. Um must-have!

 

 

 

 

A PanteneIMG_20151108_194912 foi, durante muito tempo, a minha marca de eleição. Eu nem sabia bem porquê, mas a minha mãe gostava e dizia que era bom, por isso, eu também gostava!

Há uns meses encontrei uma loja aqui em Madrid que me tem dado a oportunidade de comprar produtos de cabelo pelo preço da uva mijona!!! Loucura total! Querem acabae comigo, só pode!

 

Numa luta frenética para não trazer tudo o que lá estava, escolhi este creme da Pantene que, pelo que sei, não há venda aqui em Espanha (a não ser neste tipo de lojas) chamado Milky Damage Repair. Tudo aquilo que preciso.

É um creme espesso e gorduroso  que,  aplicado com moderação, “segura” todos os produtos que foram usados antes. Ajuda na definição, deixa o cabelo macio e, na minha opinião, e uma peça fundamental na minha rotina de finalização.

 

Passo final

IMG_20151108_194930

Este passo já não faz parte do método L.O.C mas, como toda a ajuda é precisa, eu opto por passar um pouco de espuma no cabelo para lhe dar o toque final.

Mais uma vez, a Fructis reina e, aqui,  a minha escolha pertence à gama Denso & Abundante. É isto que se quer, uma cabeleira farta e densa!

Se noto mais volume ou densidade? Não necessariamente, mas gosto do efeito e pretendo continuar a usar.

 

 

 

MUITO IMPORTANTE : Há que garantir que todos estes produtos chegam a todos os fios, por isso, uma coisa muito importante e que faz toda a diferençá é a divisão do cabelo. Eu divido-o em 3 partes. Duas em cima e uma em baixo. Assim, é mais facil fazer com que todas as madeixas fiquem cobertas e, acreditem, ajuda MUITO na definição do cabelo.

 

E por aí? Como é que finalizam as jubas? 🙂

Um beijinho.

 

A*